Pages - Menu

Template temporário! Grata pela compreensão!

Resposta para: hyiamsociopath

Um comentário meio que anônimo apareceu no dia 24/07/11 aqui no blog:
NA REAL TEM COISAS QUE VOCÊ FALOU QUE ESTÃO TOTALMENTE ERRADAS, SOU PSEUDO-SOCIOPATA, E ALGUMAS COISAS QUE FALOU ESTÃO TOTALMENTE ERRADAS, CAUSANDO MÁ IMPRESSÃO NAS PESSOAS, ADMITO, FAÇO AS COISAS POR MIM, PARA MIM, E SÓ MEU BEM, MAIS SE UM DIA EU VER QUE ALGUÉM REALMENTE SE INTERESSA EM QUERER MEU BEM, AJUDAREI ESSA PESSOA, MAIS O FODA É QUE NO MUNDO DE HOJE HUMANOS SÃO NOJENTOS E SE VOCÊS PARAR PRA VER, SABERÃO DO QUE ESTOU FALANDO.
Por hyiamsociopath em ALERTA: Pseudo-sociopata.

Achei interessante e resolvi falar sobre, afinal não tinha mesmo nada melhor para fazer.
Bom, caro amigo, não tem nada de errado no meu texto e sim coisas incompletas, mas está tudo correto, pode confirmar com qualquer psicólogo furreca que seja.
E você tem total razão, os humanos são nojentos e eu não canso de dizer isto, são repugnantes, cheios de defeitos e blábláblá, mas não é por isso que vamos tratá-los de mal a pior, pois assim ninguém têm chance de mudar.
Humanos desprezíveis precisam de humanos nem tão desprezíveis, para terem a chance de ser alguém um pouco melhor, um caráter um pouco melhor, a vida mais feliz. Por isso tratar alguém mal com a desculpa de ser defeituoso ou qualquer coisa do tipo, não cola para mim.
Você disse que ajuda pessoas que se interessam em você, no seu bem, ou seja, egoísmo (também sou egoísta, então de certo modo lhe entendo). E vai ajudar até saber que a pessoa lhe renderá algo, por mais fútil que possa ser.
Não adianta, são todos iguais e não retiro uma palavra do que eu disse.
Tenho amigos assim, sei lidar com eles, não deixar as coisas saírem dos limites, mas algumas pessoas não sabem, são muito submissas, não conseguem se impor, e o que eu digo é: se afaste antes que roubem sua liberdade.
Você, nesse auto defesa, apenas se enrolou mais ainda e afirmou tudo o que eu disse, então de certo modo eu agradeço.
Espero que mantenha também a sua palavra, e não fuja deletando o comentário.

Abraços,
Káah Azamba.