Pages - Menu

Template temporário! Grata pela compreensão!

Debate, ciumes.

Quase uma semana atrás, fiz a seguinte pergunta para vocês, leitores:
- Ciumes são bons, admito, mas até quando?

E com felicidade recebi várias opiniões, todas diferentes.
As que mais me chamaram a atenção foram estas duas, pelo tamanho de verdade em si, e pela contradição;

Juuh Nascimento
Entao acho que todos sentimentos ciúmes da pessoa que amamos, mas NADA em excesso faz bem. E ciúmes demais destrói, e quem sente precisa rever se o motivo esta na pessoa que causa ele, ou se é em si mesmo, sim, porque quando sentimentos ciúmes demais, isso pode ser um sinal classico de insegurança.

Fernando
Acho q ciúmes nunca são bons, essa coisa de "quem ama cuida" acho q é uma desculpa pra poder controlar a pessoa amada ... vejo ciúmes como uma frustração na verdade, é como se você quisesse que a pessoa amada de amasse com a mesma intensidade q você a ama mas isso não acontece, ou não é demonstrado e acaba dando errado.. sei lá, é o q eu penso..

Os dois estão certos, até porque estes pontos de vista são usados para diferentes ocasiões.
Eu, especialmente, já presenciei/vivenciei os dois. Aquele ciumes platônico, de medo de perder a pessoa, da possessão de querer que ela te ame igual ou até mais. E também o ciumes mais tranquilo, que encomoda as vezes. Fato que ciumes é bom, mas também não é. Não quero confundir vocês, apenas, deixar como sempre em aberto, que façam suas escolhas. Vários casais se separam por causa do ciumes, e os problemas que ele traz. Mas não podemos esquecer dos casais que acabam rompendo por falta dele, acabam se sentindo rejeitados pelo parceiro e pouco atraídos sentimentalmente.
Será que devemos apimentar a nossa relação com um ciuminho diário?
Será que o ciumes está se tornando o foco das brigas?
Acho que essas duas perguntinhas básicas, guiam facilmente qualquer um.

Muito obrigada pela participação de vocês, e fiquem sempre a vontade, se quiserem debater sobre algum assunto, se quiserem ir mais fundo em outro, sugestões. Aqui, que esteja claro, para mim não há distinção do certo e errado, apenas idéias que tentamos conciliar.