Pages - Menu

Template temporário! Grata pela compreensão!

Desde o princípio, Emilly T. Galvão

Sabe a Emilly? Pois é, é uma garota muito especial para mim, e ela narrou como nos conhecemos pelo ponto de vista dela. Achei o máximo, chorei e agora vou postar aqui para ficar marcado ^^
(é muito grande então diminui para ocupar menos espaço, se estiver difícil para ler, copie e cole num bloco de notas que volta à formatação original) ;*

"Desde o princípio (Emilly T. Galvão)
Tudo começou no dia 09/08/2010. Era uma segunda-feira qualquer, estava indo para o cursinho, animada até, era quase 15h00min quando encontrei com uma colega no terminal para irmos juntas pro curso, como de costume falávamos de garotas, fofocas, namoros e tudo mais... Então ela comentou que tal amiga tinha voltado com a ex e que estava logo ali e que queria ir lá dar um ‘oi’ e me pediu pra ir rapidinho, não vi problema algum nisso, afinal, era só mais um casal de garotas reconciliando. Chegando até o local desejado, avistei duas garotas se beijando, uma era a tal amiga que eu já tinha visto por aí, e a outra e tal da ex. Bem, como descrever aquele momento eu nem sei, foi tudo tão rápido, tão mágico, e sabe quando parece que nada mais existe além daquela pessoa? Daqueles olhos, pareciam dois faróis vindos em minha direção, me senti totalmente indefesa ao vê-la, era uma linda garota, na qual eu N-U-N-C-A tinha visto aqui, parecia que ela tinha nascido ali, agora, e pra mim, ela era tão diferente de tudo que eu estava acostumada a ver, tão diferente! E tão linda, doce, meiga, menina. Mesmo a vendo amar outra garota, não fez nenhuma diferença pra mim, a única coisa que sei foi que senti que ela seria de alguma maneira minha um dia, eu queria, se pudesse teria a pegado ali e fugido com ela pra bem longe sem ao menos conhecê-la, acho que ela nem percebeu minha presença ali, mas pra mim não fazia diferença, ela me fez sentir algo que eu não sentia a tanto tempo, até porque estava totalmente presa a um relacionamento ruim, doloroso, e que acabou comigo e com minha sanidade. Achar uma garota interessante e bonita era algo que não queria nunca mais, não me permitiria, mas ela foi como se jogasse algum tipo de feitiço sobre meus olhos e me fizesse enxergar que não era assim, e enxergá-la também, fique a observando por alguns instantes, e percebi o quanto era amável com aquela garota, doce e delicada, era tudo o que uma garota realmente queria, e era tão real aqueles olhos, que brilhavam e quase me matava de longe. Cumprimentei-as bem rápido e saí.
Saindo comentei com N.:- ué, nunca tinha visto essa namorada da N, onde ela estuda? E ela me respondeu: - Ah, estuda no... e a N não é linda? Eu:- Linda é a namorada dela, muito linda. E ela disse:- Ah eu não acho, ela é muito branca. Eu ri;
Passei o resto do dia pensando naquela garota, naqueles olhos, naquela linda garota que me encantou assim, tão rápido... Cheguei a conclusão mais tarde que teria que tirá-la de mente de qualquer jeito, afinal, ela estava namorando, e parecia muito feliz, muito mesmo.
Então parei de pensar nela, e enfiei na minha cabeça que era viagem minha e que senti aquilo porque estava sensível, e ver uma garota linda e tão carinhosa me fazia querer aquilo, era só isso que tinha que pensar, e tinha que esquecer a idéia de a ter pra mim, só isso.
Era uma quarta-feira qualquer e a minha manhã até a hora do almoço tinha sido uma merda, uma total desgraça, a garota que eu supostamente ‘amava’ havia me ignorado totalmente e eu me senti um lixo, uma qualquer mesmo, um verme, e sabia que nada ia tirar aquela dor de mim. Pra acabar com minha manhã, falei com uma pessoa que foi bastante importante no passado e que ainda sentia algo, e me senti pior ainda com aquela conversa, não quero entrar em detalhes. Só sei que estava mau, muito mau e que qualquer coisa me faria cometer uma loucura, bater em alguém era tudo o que queria, mataria alguém se pudesse.
Passaram-se dois dias e eu nem lembrava mais dela direito, pensei que nunca mais fosse vê-la, pensei apenas. Na quarta feira meu curso começava mais cedo, então almocei na rua, e esperei dar a hora, estava sentada em uma mesa e a vi, vindo com uma mochila caída de lado, uniforme escolar, cabelo de qualquer jeito e com a maior cara de cansaço, então comentei com N que a namoradinha da amiga dela tava lá, N foi lá cumprimentá-la. Tentei não olhar pra ela, apenas tentei porque não consegui, era muito mais forte do que eu, mais forte do que podia suportar, então fiquei a observando e não tirei os olhos dela, mesmo de longe não parei, e sim, queria que ela retribuísse e tive sucesso, os olhos dela vieram em minha direção e quase vi a alma da garota pela primeira vez, e percebi que ela também não conseguia parar de olhar, me senti bem, e por mais ridículo que fosse, poxa, eu encarando descaradamente uma garota que nem sabe que existo que namora e tudo mais, ah meucú! Mais eu também não tava nem aí, era ali o meu lugar, e o dela também, aquele era um momento nosso, um momento que ninguém sabia que existia, apenas nós mesmas, me senti indefesa de novo, e mais forte, tanto que não consegui parar de olha-lá um segundo se quer, e ela correspondia perfeitamente, aquele era o nosso primeiro momento conectadas, pensei.
(...) fiquei com aquele momento preso nos meus pensamentos por horas, a noite toda, e fiquei pensando como ela consegue fazer isso comigo? Como? Era pra ser só mais uma garota, só mais um olhar, mas não adiantava negar pra mim mesma, porque não era, era E-L-A!
Sexta-feira estava cabulando aula pra variar e sozinha, de fato, passando pelo terminal, e indo ao banheiro, quando um amigo me chamou, e então percebi que ela estava sentada com ele, então fui lá e me sentei. Pela primeira vez me sentava perto dela, e podia olhar o quanto quisesse, ela estava ali, do meu lado, conversamos sobre namoradas, ex, experiências, e nesse dia eu tava tão ‘nem ai’ que nem sei o que disse pra ela direito, sei que dei altas palas, e estava realmente decidida a não querer aquela garota mais pra mim, era coisa da minha cabeça e eu ia tirar, começando não pensando, e foi isso que fiz naquela manhã e no dia anterior, não quis pensar nela. Quando a vi, senti o coração disparando de novo, me senti suando e indefesa, ah que idiota! Odiei-me por alguns momentos, conversamos, trocamos altos olhares, isso foi bom, muito bom. Então a namoradinha dela chegou e eu vazei, não ia ficar assistindo a vitória do me inimigo, sim já via as coisas assim.
Cheguei em casa e me senti bem até, sem contar que alguns amigos nossos em comum tava fazendo gracinha dizendo que a gente daria certo e essas coisas todas, me iludi com isso é claro, e ainda me disseram que ela perguntou de mim, morri!
Passei a sexta pensando nela, não muito, estava realmente interessada e ao mesmo tempo indiferente, não posso negar que queria aquela garota pra mim, era o que mais queria naqueles dias. Pensei na nossa conversa, a namorada dela não parecia tratá-la bem e isso me matava e me deixava com tanta raiva, como alguém pode maltratar um anjo desses? MEU DEUS! ONDE ESTAMOS? Eu aqui, querendo dar tudo pra ela, e esse capeta de menina fazendo isso, e sim notei a total indiferença com ela, a garota chegou e nem foi lá cumprimentá-la, esperou que ela fosse, e com a maior cara de bosta, a namoradinha dela tinha cara de cú, parecia uma lombriga mal humorada e que faz de tudo pra chamar a atenção como machinho, aquilo é mais frouxa que tudo, aposto, ativinha frouxa, rs.
ENFIM, mil coisas me passavam pela cabeça, não queria deixar ela nas mãos daquela garota, não mesmo, mas também não podia fazer nada, até porque em relacionamentos ninguém entende o que se passa a não ser quem esta se relacionando. Resolvi deixar pra lá...
Outro dia, sábado, tinha uma viagem com a escola cedo, fui, e quando estava voltando quem vejo? Ela , ela! Com a namoradinha, ah eu quis morrer, desabar, sei lá, foi bom ver, mais beijando aquela menina de novo, abraçando, e o melhor, o que me deixou feliz foi que ela não parava de me olhar, e eu nem tava olhando mais, percebi, então retribui, lógico. Subi, comprei balas e quando descia, esse foi o melhor momento de todos, o melhor olhar, o melhor tudo, estava descendo e ela tava encostada com a namorada em um ferro, sei lá, a namorada de costas pra escada e ela olhando fixamente pra escada, foi então que nossos olhos se encontraram, eu perdi o chão, a escada, porque pela primeira vez senti que ela me olhava diferente, e me olhava de um jeito tão legal, tão inocente e furioso, e eu gostava daquilo, quase cai da escada, acho. Foi exatamente nesse momento que decidi: Essa garota vai ser minha, e não vou fazer muita coisa porque agora eu sei que ela também quer, seja carnal, sentimental, seja o que for ela quer, e ela vai ser minha, totalmente minha, os sentimentos, os medos, tudo, ela vai ser minha! Quando cheguei perto dela então nem sei o que perguntei, só queria ouvir a sua voz, e a namorada dela a arrancou de perto de mim, rs. Acho que foi tão forte que até ela percebeu.
Depois desse dia, não parei mais de pensar nela um minuto se quer, fazia planos, mais sabia que se fosse pra ser ia ser, não ia ficar em cima, afinal, ela ainda tinha uma namorada, que aparentemente era a vida dela e tudo mais, só me restava esperar.
Domingo, quase 14;00 o telefone toca, minha amiga G chamando pra ir na praça, ia ter showzinho lá e tudo mais, não tava afim, não mesmo, até porque ela é melhor amiga da ‘minha garota’ que supostamente estaria acompanhada, então não rolava mesmo, não queria assistir aquele amor todos os dias, ia ficar na minha mesmo. Só que alguém pega o telefone e diz ‘oi’ eu disse ‘oi, quem é?’ ‘é a ...’ CADE MEU CHÃO? Eu ainda consigo respirar? Era ela, era ela! Falando comigo, perguntou como eu estava, me chamou pra ir na praça, de fato achei super bacana, mais não ia mesmo.
Passei a tarde de domingo me sentindo a garota mais feliz do mundo, sem muitos motivos, rs. Mas estava feliz por poucas coisas, e isso bastava. Foi então que escolhi um apelido pra ela, ouvindo U2, ela é o meu AOH.
Segunda, cursinho, chato, mais eu estava bem, só esperando as coisas acontecerem como tinha que ser com calma e tudo mais. Fiquei sabendo então que no domingo ela havia brigado com a namoradinha, fiquei feliz e triste, feliz por saber que ela podia estar livre e pronta pra mim entrar em campo, e triste por saber que ela estava triste, eu sabia que estava. Peguei o numero dela com uma amiga e liguei a noite, pra saber como estava e dizer que podia contar comigo, nem sei da onde veio a coragem, mas liguei, chamou 2 vezes e na terceira ela atendeu (insistente eu né), foi lindo e mágico, perguntei se sabia quem era e ela disse meu nome tão delicadamente, podia morrer naquele momento, estaria feliz. Disse que fiquei sabendo que havia brigado com a N, e ela disse que era normal, de costume, e então disse que N não a merecia, e sabe o que ela disse? Sabe? ‘só você merece né’ nossa, acho que morri, sério! E ela ainda disse toda gentilmente que queria me ver no outro dia, fiquei tão feliz, foi tão lindo, dei boa noite, e tudo mais, foi perfeito.
Dormi tão bem naquela noite de segunda pra terça e contava os segundo para vê-la no outro dia, o que ia acontecer? O que Meu Deus?
Por outro lado eu estava preocupada porque sabia que mesmo se ficássemos juntas seria difícil, eu tenho ex, ela estava namorando, e se terminasse seria uma grande batalha faze-la esquecer N, comecei a lembrar delas juntas e aonde essa história estava chegando, me preocupei em não querer vê-la sofrer ao meu lado, mesmo como amiga, por incrível que pareça, eu queria vê-la feliz, só isso, e queria pra mim, mais não tinha pressa por que sabia que cedo ou tarde a mocinha ia ser minha, SÉRA?
No outro dia, na terça 17/08/2010 fui ao seu encontro, chegando lá, a vi com N, estava conversando e a coisa parecia feia, foi então que alguns colegas comentaram que estavam terminado, me senti bem e muito mau depois, muito mau. Terminaram a conversa e ela veio me cumprimentar, nos abraçamos, sentamos trocamos algumas palavras e combinamos de nos encontrar a tarde no apartamento de uma amiga, assim teríamos mais tempo para conversar, se conhecer, ela não parecia bem, por mais que insistia que estava, não estava, estava triste e distante e isso me matou. Uma coisa eu já sabia, não ia ser fácil, não ia mesmo, talvez o mais fácil foi ela terminar com a N, o que antes era o mais difícil se tornou nada do que eu sabia, o que nos esperava se fosse pra ser algo realmente como eu estava querendo e imaginando. De certa forma não foi problema, acho que estava preparada.

Well, é isso ai, o começo de uma história que hoje é o que me motiva a fazer quase tudo, eu não vou terminar porque tem MUITA coisa ainda, muita mesmo, e meus dedos estão doendo já, só sei que é o começo de algo que eu não quero que acabe, que seja eterno enquanto dure, que dure para sempre! Só sei que tu garota, mecheu comigo desde o principio e meche até hoje, e você sabe disso muito bem, não é aoh?!
‘... Você chegou e me deixou assim, com os pés fora do chão, pra acelerar um coração que já bate pouco, por tanto procurar por outro, anda cansado, mais quando você esta do lado, fica louco de satisfação, solidão nunca mais (...) você caiu do céu , um anjo lindo que apareceu, com olhos de cristais, me enfeitiçou e eu nunca vi nada igual, de repente, você surgiu na minha frente, luz cintilante, estrela em forma de gente,invasora do planeta amor, você me conquistou ....’ <3"